Páginas

28 de maio de 2017

3 A.M.

Oii amores, como estão? Por conta do fluxo grande de atividades da faculdade, o post dessa semana atrasou um pouco, mas não esqueci de vocês.
  Pra hoje, trouxe mais um texto de minha autoria. Não sei bem em que me inspirei pra escreve-lo mas escolhi como titulo, o nome de uma música de latina que gosto muito da dupla Jesse & Joy.

No fim do post deixo os links para vocês a escutarem, se quiserem. 🍃

17 de maio de 2017

Peça-me o Que Quiser - Megan Maxwell (+18)

Hoje vim comentar com vocês sobre o primeiro livro da Trilogia Peça-me o Que Quiser da autora espanhola Megan Maxwell.




A série e composta pelo volume um Peça-me o que quiser, o dois Peça-me o que quiser, agora e sempre e o terceiro Peça-me o que quiser, ou deixe-me. Todos três volumes são eróticos, e vem até escrito que não e recomendável a menores de 18 anos.

Judith tem 25 anos e secretaria na empresa Müler em Madri, desta a sua chefe.
Eric Zimmerman, dono da empresa Müller vai a sede de Madri, que até então quem comandava era o seu pai falecido, no primeiro dia o elevador estraga e ele fica preso com várias pessoas dentro, entre elas Judith que acaba fazendo uma brincadeira na hora, sem saber que ele e o dono da empresa.

Desde o primeiro momento do livro vemos a postura séria, dura, inflexível de Eric, na empresa ele e até conhecido como IceMan.

Logo no primeiro encontro dos dois, ele leva ela a um jantar de voyeurismo, isso mesmo... Já de cara ele vem e mostra para o que está em jogo, deixando claro as intenções dele que no inicio e só sexo, prazer da parceira que ele estiver no momento.

De primeira a reação da Judith e rejeitar essa ideia, mas ela acaba cedendo, e nessa ela acaba se apaixonando pelo Eric, e ai sim na minha opinião começa o desenrolar da historia.

*** Aviso***

As partes que narram o relacionamento sexual contém bastante voyuer, e detalhes, se você não gosta desse estilo, esse não e um livro que recomendo para você.



"-Sobe em mim Jud. Por Favor.
Sua voz suplicante e meu desejo por ele me levam a obedecer.
Monto nele, que então me penetra. Estou molhada e escorregadia. Ele se encaixa totalmente em mim e nós dois gritamos."


"Disposta a tudo, olho para ele.
- È isso que eu quero... Participar do seu jogo e fazer tudo o que você quiser porque seu prazer e meu prazer e eu quero experimentar tudo contigo.
-Jud... - diz, ofegante.
- Tudo... Eric... Tudo."


"Quando tudo acaba e eu fico em cima dele, extasiada e suada, me dou conta de uma grande verdade. Estou completamente entregue a Eric e apaixonada por ele."

Link para o Skoob

14 de maio de 2017

Especial: Feliz dia das mães

   Feliz dia das mães a todas mamães!
 Hoje resolvi fazer esse post Especial em Homenagem a "Mulher Maravilha" que todos nós temos.
   Quem não gosta de acordar um beijinho no rosto, sentir aquele cheiro de pão fresquinho e ver que ela arrumou tudo o que você gosta de comer?
   Então, porque não inverter os papéis (e não somente hoje), acordar primeiro que ela, sair na ponta dos pés e fazer o café dela?
   Por mais que elas sejam diferentes, no final, todas são iguais, porque são mães. Todas vão brigar porque esquecemos a toalha molhada na cama ou porque não queremos comer brócolis. Todas vão mandar a gente levar blusa (mesmo estando calor) e pegar o guarda-chuva (mesmo com o céu límpido).
  Não há relação 100% perfeita com elas. Sempre vamos achar que em alguma coisa elas estão exagerando ou que estão sendo "cafonas". Eu mesma, não tenho a melhor relação com a minha, mas acho que já teria tido uma sincope sem ela. Mesmo sendo autoritária e as vezes ranzinza, é melhor assim do que sem ela.
  Falando sobre a minha mãe, me lembro de quando ela fala sobre o tempo em que estava grávida de mim: "sempre soube que você era uma menina, mesmo antes de saber pelo exame. Comprei aquela coberta rosa que você adora porque era a mais linda da loja."
   Incrível como elas sempre sabem, não é? Até tentamos esconder (algumas vezes conseguimos) mas no fundo, elas sempre sabem. Mesmo que não falem para não "invadir" nosso espaço.
  Quando nasci, minha mãe tinha 18 anos, no "auge" da juventude, e ela cuidou muito bem de mim (ainda cuida, do jeito dela, mas cuida). Muitos podem dizer que era obrigação dela ter "parado a vida" para isso. Mas quantas mãe não o fazem? Então, sim. Eu fico feliz por ela ter tomado tal decisão. 
  Mesmo quando voltou a estudar, não deixou de cuidar de mim. Parte da vontade estudar, foi por minha causa, para poder me ajudar quando chegasse a minha vez de estudar. E sou grata por isso também.
  As vezes brincamos (ou falamos em um momento de raiva) que não escolhemos a qual família pertencer, nem quem será nossa mãe, as vezes desejamos que a mãe da nossa amiga seja a nossa mãe ou até mesmo nossa avó (afinal de contas, é como se fosse mãe 2x). Mas, Deus nos coloca no berço certo, por mais difícil que seja, é o berço que vai nos ensinar a ser uma mulher no futuro.
  Então, não faça um agrado a ela só hoje, porque hoje é o dia das mães. Elas são mães todos os dias, desde o momento que souberam da nossa existência. Então, temos que agradecê-las todos os dias; mesmo que o agradecimento não seja diretamente a elas, agradeça a Deus pela vida dela. Pois foi a decisão Dele unir você a ela.
   A verdade seja dita, as vezes tenho vontade de fugir da minha mãe (haha), mas sem ela, acho que eu não seria metade do que sou hoje, tenho muito orgulho de tudo o que ela fez e sacrificou por mim. Mesmo que as vezes palavras ou atitudes possam passar uma imagem de ingratidão da minha parte ou algo que aparente que ela é ingrata pela filha que sou, sei que no fundo ela também se orgulha de mim (do jeito dela).
  Semana passada, uma banda que gosto muito (Halestorm, que leva o sobrenome da família) lançou o videoclipe de uma música em que foi escrita para homenagear a mamãe "Hale" (mãe da vocalista e do baterista). Uma música linda, que diz "palavras que toda garota devia ter a chance de ouvir" (confira a tradução aqui) e esta semana, estava passeando pelo Youtube quando me deparei com uma "nova" versão de Trem Bala que a Ana Vilela (re)escreveu para os dia das mães e ficou tão linda quanto a original. 
  Se você não pode dar a ela aquele perfume que ela quer, um vestido novo ou aquele batom novo que saiu. Dê palavras. Dê um abraço. Dê seu tempo. Dê palavras, (as musicas que citei, principalmente a da Ana Vilela, são perfeitas para presente-las).
  Entre eu e minha mãe não temos o costume de dizer "amo você" em palavras, mas, nós fazemos isso em gestos. Temos o costume de uma lembrar da outra em tudo o que fazemos; seja ir na doceria comprar um chocolate para dividirmos ou ir na loja comprar sapatos. Sempre tentamos dividir tudo. E isso mostra o amor que temos uma pela outra.

Halestorm-  Dear Daughter



Ana Vilela - Trem Bala (Especial Dia das Mães



Feliz Dia das Mães 💕